segunda-feira, 2 de julho de 2012

Liberdade

E de repente eu me senti jovem como nunca havia me sentido antes. De repente as luzes nas ruas pareciam convites, e eu me deixei ser livre por um dia. Fui ousado e até intenso nessa minha alforria, tanto que alegria despencava em meus sorrisos em em meus olhos que brilhavam olhando não sei para onde, talvez para dentro de mim, para um lugar que eu nunca havia me deixado ver, cheio de receios e medos. Havia tempos que eu estava preso a uma vida muito teórica, muito fechada em meu passado e em meu futuro, tanto que o presente não aguentou e se libertou todo de uma vez, sem que eu pudesse mais contê-lo dentro de mim. Vi passar na minha frente, dentro de segundos, novas chances de amor e de amizade, de fraternidade e de vida inteira, tudo junto em um mesmo dia, tanta luz que meus olhos começaram a duvidar da realidade, mas logo me acostumei com tudo, e com todos também. Provei na carne o real significado de se viver a vida, inteiramente, verdadeiramente, e o resto ficou marcado em mim, e em muitos que estiveram comigo ali, juntos e vibrantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário